Localização
Avenida da República, 300
2750-475 Cascais
+351 214 826 970
Horário
3ª a domingo
10h às 18h
Última entrada às 17h40
Público Geral: 5€
Residentes: 2.5€

Exposições/

Paula Rego/ Honoré Daumier: mexericos e outras histórias/

7 de Novembro de 2013 a 20 de Abril de 2014

Inaguração às 18h00.

Curadoria:Paula Rego, Catarina Alfaro

MexericosPaula Rego, Segredos e Histórias, 1989


A exposição estabelece um diálogo entre dois artistas para quem a obra gráfica se tornou um meio de expressão tão directo como o próprio desenho.
Esse diálogo foi possível através da colaboração do colecionador Juan Espino Navia, que disponibilizou a sua colecção de litografias de Honoré Daumier (1808-1879), - publicadas na sua maioria no jornal satírico francês Le Charivari - para que fossem vistas e escolhidas pela artista Paula Rego e integrarem uma exposição.

Os dois artistas usaram e dominaram, à sua maneira, as técnicas de gravação para fazer chegar as suas visões, histórias e perspectivas políticas a um público mais vasto do que o associado à pintura e à escultura e exploraram esta forma artística mais democrática para produzir imagens múltiplas que, postas a circular, podem operar uma mudança de mentalidades. No caso de Daumier, foi sobretudo o processo litográfico que lhe facultou não só um meio de subsistência e um rendimento estável, como também uma forma de propagar a sua defesa do homem comum, dos marginalizados, dos expropriados. Para Paula Rego, foram a gravura e a litografia que lhe facultaram um complemento à pintura e lhe permitiram chegar a uma vasta audiência com as suas narrativas femininas únicas.

O trabalho gráfico de Paula Rego (que inclui também as obras produzidas a água-tinta e a serigrafia) constitui-se, em cerca de três quartos da sua totalidade, a partir do desenvolvimento de séries temáticas. Se já na pintura a artista desenvolve narrativas que não se esgotam numa única obra, a utilização das técnicas da gravura e da litografia permitem-lhe multiplicar as histórias, intensificando todo o seu sentido narrativo, através de desdobramentos e intersecções imagéticas. Nas litografias de Daumier, também pertencentes a séries, são satirizados os episódios quotidianos da vida social francesa, sobretudo os que caricaturam a pequena burguesia e a classe média. E o que mais encanta Paula Rego nestas composições caricaturais «é a elasticidade do traço de Daumier e como frequentemente há algo de errado mas expressivo na composição dos corpos».

Tanto Daumier como Paula Rego usaram a produção artística gráfica como elemento diluidor das hierarquias e da diferenciação entre a arte erudita e a popular, sempre comunicante com o tempo presente através das suas vozes críticas e socialmente interventivas.
Catarina Alfaro, Curadora